Wednesday, 5 September 2007

O dia que não sorri

Quantas vezes me iludi com
esse mundo, achando que poderia
tornar as ilusões menos solitárias.
Por que sempre faço as coisas
erradas parecerem as certas?
E me confundo com meus
próprios desatinos tentando
entender por que me deixo
levar por tais caminhos.

A luta contra meus sentimentos,
fazem-me pensar a cada dia
que estou ficando maluco.
Tento não prender-me em meus
próprios entendimentos
mas a cada suspiro, a imagem
de um novo dia parece reacender
em meu peito, tornando
meus sonhos um pouco mais reais.

Não sei o que ando fazendo
da minha vida,e menos ainda
o que a vida anda fazendo comigo,
poderia estar eu perdido nas
estradas que eu mesmo construí?

Ou seria a minha facilidade
de repetir meus erros, que me afastam
da minha tão sonhada felicidade?
Embora o tempo passe e eu esgote
minhas lágrimas em vão, esperarei
por aquilo que meus olhos
não podem enxergar,
mas posso sentir
com meu coração.
Não desistirei dessa
batalha facilmente.
As faces da vitória parecem
me ouvidar,mas busco na derrota
experiência para enfrentá-la.

Esse é o relato de um dia
de trevas e escuridão que banharam
um pouco a minha alma.
Daqui algum tempo
o registro desse dia apenas
servirá de inspiração e orgulho
pelos êxitos conquistados,
e as partículas de choro
deste dia,servirão como orvalho
para trazer um novo amanhecer.


Ben-Hur Scheidt - 05/09/2007 - (UNASP-SP)

Acessos

Search