Thursday, 27 November 2008

Desgraça de uns, felicidade de outros

As notícias sobre as chuvas, que devastaram o estado nos últimos meses, repercutiram Santa Catarina a nível nacional. Infelizmente Blumenau foi palco de cenas, que ficarão marcadas para sempre na memória do povo catarinense e de muitos brasileiros.

A população, preocupada com os parentes e amigos que poderiam estar sendo afetados; os órgãos públicos, pedindo auxílio para a contenção dos desabrigados; e o exército resgatando famílias em meio às águas. Uma verdadeira calamidade para os catarinenses e, para outros, alguns pontos de audiência.

A aflição do povo talvez não seja o único motivo de fazer o apresentador de TV José Luiz Datena, sobrevoar Blumenau em dias de caos. O dinheiro para fazer uma aeronave sobrevoar a cidade talvez fosse bem investido se usado para adquirir roupas e alimentos para os atingidos. Ao invés disso, filmar os acenos das famílias em desespero em cima dos telhados virou atração nacional.

Quem precisa, de fato, não ganha nada. Ganha closes abertos e fechados de suas vidas indo por água abaixo, enquanto a equipe jornalística, contempla a cena da calamidade, feliz por atingir altos picos de audiência.

Até quando esses ditos “jornalistas” vão usar as histórias tristes das pessoas e do povo para ganhar pontos de audiência? Será que 50 mil desabrigados não são suficientes para pautar a informação de uma maneira mais séria?

O estado se encontra num cenário pós-guerra, depois de tristes acontecimentos, famílias desabrigadas, mortes. Convém refletirmos nas transmissões de algumas emissoras de TV. O que realmente tem valor para o meio jornalístico?

Ajudar a salvar vidas com a divulgação de informação com seriedade e precisão, ou bater recordes de audiência, promovendo o show do horror da morte? É para se pensar.


Ben-Hur Scheidt

Acessos

Search