Sunday, 20 September 2009

Desenvolvimento

Um comércio em constante crescimento

Palhoça é a cidade que mais cresce na Grande Florianópolis. Em dois anos duplicou seu PIB, e nos últimos cinco cerca de 2,4 mil empresas se instalaram e trouxeram milhares de novos empregos para o município. A população que era de 122,4 mil habitantes em 2007, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), tem uma projeção de duplicar até 2012.

Com estatísticas consistentes de crescimento populacional e econômico, Palhoça desperta investidores e a aquece o comércio e indústria local. O município tem 2.714 estabelecimentos comerciais e 460 industriais, de acordo com a Secretaria de Comércio e Indústria.

Segundo o Gerente de relações públicas da CDL, Edenilson Alves Gonçalves, o comércio e a população têm sido beneficiados com os impactos do grande crescimento da cidade. “Esse crescimento de 25% é muito significativo, por que crescemos tudo isso, quando ainda estávamos em meio a uma crise.”, diz. “O aumento de opções de compras para os consumidores, e o aumento de consumidores para os lojistas, fazem todos ganhar” completa.

O aumento da população trouxe mais rotatividade aos comerciantes e ampliou as opções de compra para a população. Um aumento significativo nos números de associados da CDL mostra que a cidade tem potencial para crescer muito mais. Atualmente a CDL conta com 558 associados ativos, e o número de baixas é quase zero. Nos dois últimos anos o aumento de associados cresceu 25%. A Secretaria Estadual da Fazenda informou que a arrecadação de impostos do município teve aumento de 11,42% entre 2005 e 2008.

A educação também faz crescer

O desenvolvimento econômico de Palhoça, também foi impulsionado por outro fator. A educação. São 80 mil estudantes universitários, cerca de 40% da população atual. Além das universidades Unisul e Fadesc, a cidade vai receber unidades sucursais do Ifet, Udesc e Senai. Ainda conta com a Faculdade Municipal de Palhoça, que destina 80% das vagas a moradores que concluíram o ensino médio em escolas públicas. Tudo isso contribuiu para que as vendas dos primeiros comerciantes continuassem normalizadas, mesmo com a chegada de novos investidores.

A contabilista Enir Maria Broering, 46 anos, transferiu o seu escritório para Palhoça, devido à expansão que o município vem obtendo. “Tínhamos a empresa em Santo Amaro e decidimos mudar pra cá devido ao crescimento.” Afirma Enir.
Já a família de Tamara de Souza, (20), possui uma ótica na cidade há mais de 15 anos. Ela diz que o número de concorrentes aumentou muito nos últimos anos, mas que o crescimento da população ajudou para que a média das vendas continuasse normalizada.

Acessos

Search