Wednesday, 7 October 2009

Sumida

Professora desaparecida deixa alunos sem aula
Há duas semanas alunos da segunda série da escola Professora Adriana Weingartner, estão sem aula depois que a professora da classe do 2° ano do primário desapareceu. A diretoria da escola tentou fazer contato com a professora, que não atendeu ao telefone, e mantém sua casa fechada. Vizinhos informaram que ela está em casa, mas não quer receber ninguém.

A dona de casa, Maria de Fátima Vasconcelos, 52 anos, disse que tenta enviar seu filho para a escola há duas semanas, mas a sala de aula está sempre vazia. Seu filho Robson de apenas oito anos de idade, fica em casa o dia todo. “Às vezes eu preciso dar uma saída e não tenho como”, diz a mãe. No último contato que os diretores da escola tiveram com a professora, ela informou que estava sem condições de dar aula, e aguardava uma pericia para comprovar a situação, para que o município contratar outra pessoa para substituí-la.

Secretaria da escola diz que não é a primeira vez
Segundo a secretaria da escola, Raquel Meira Solto, a professora sofre de depressão e não tem condições de lecionar. Raquel declara que em 2002 a professora foi efetivada pelo município, e no ano seguinte pegou uma licença ficando até início deste ano ausente, mas recebendo salário. A professora voltou a lecionar somente no início deste ano, e no mês de agosto começou a faltar novamente, comentou Raquel.

A Secretária de Educação Jocelete Isaltina Silveira dos Santos, disse estar á par do caso. E que a secretaria da educação, já abriu sindicância onde será montada uma comissão para analisar os fatores e as justificativas da professora “desaparecida”. Segundo Jocelete, em nenhum momento a secretaria da educação foi procurada pela professora. A procuradoria do município disse que não pode contratar outra pessoa para um cargo já preenchido. Para contratar outra pessoa primeiramente deve haver uma exoneração do cargo do atual contratado. “Nesse caso enquanto não há uma nova contratação, a direção da escola tem a responsabilidade de manter alguma atividade com os alunos”, afirmou Jocelete.

Casos de afastamento serão resolvidos
A secretária de educação salienta que esses casos dificilmente acontecem, mas por haver antecedentes, a prefeitura está abrindo um concurso público ainda no final deste ano, para contratar mais professores. “Vamos criar vagas para professores itinerantes, ou seja, eles terão uma função dentro da secretaria da educação, mas quando faltar educadores nas escolas, eles serão acionados imediatamente para substituí-los”, disse Jocelete. As vagas serão nas áreas de educação especial, educação infantil. O ensino superior é essencial podendo ser licenciatura ou na área pedagógica, afirma Jocelete.

Acessos

Search